VÍDEOS - RODANDO O MUNDO

Loading...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

ILHA BELA - SP




ILHA BELA - SP - BRASIL


                          Depois de um longo tempo deixando as raízes crescerem em nossos pés na nossa cidade natal, voltamos para a estrada para um semana de exploração nessa famosa e maravilhosa ilha.


                           Apesar da alta temporada a travessia da balsa foi tranquila e a um custo de R$ 15,00 e vinte minutos depois já estávamos na ilha.

                          Já estivemos aqui outras vezes, explorando principalmente a Baía dos Castelhanos, e outras trilhas, isso na época em que ainda tínhamos nosso jipe Troller.



                         Você não precisa ter um jipe para explorar esse lado da ilha, basta contratar uma das várias empresas especializadas espalhadas pela ilha e acrescentar a sua bagagem desse dia um bom e fortíssimo repelente para mosquitos.  A triha tem 22 Km de extensão e leva também às praias Vermelha e Mansa, muito procurada por surfistas e mergulhadores.

                        O caminho é bem rústico e a estrada nem sempre tem condições muito favoráveis, mas para que tem a aventura nas veias, não vai se arrepender.


                     

                   

                         Dessa vez, optamos por uma hospedagem mais confortável e nos fixamos a pouco mais de 200 metros da Vila, centro comercial e turístico da ilha, onde se concentram a maioria das lojas, restaurantes, sorveterias e outros comércios, na praia do saco da capela.







                          Com uma estreita faixa de areia e águas abrigadas e muito calmas, essa praia é o ponto principal de estadia das lanhas e veleiros que possuem poitas para ancoragem, proporcionando uma vista maravilhosa para os apaixonados pelo mar.












                         O tempo dessa vez não foi muito amigável e a chuva nos acompanhou principalmente nos primeiros dias, mas mesmos sem muitas condições, resolvemos explorar algumas das quarenta e duas praias da ilha.

                         Destacamos aqui algumas das principais atrações da Ilha.


PRAIA DA FEITICEIRA

                        A praia de areia grossa e com 250 metros e extensão, fica a seis Km ao sul da balsa. O casarão em estilo colonial, antiga sede da fazenda São Matias, é o ponto de entrada para a praia de mar calmo e tranquilo.



PRAIA DO CURRAL

                       A praia mais badalada e agitada da ilha, possui a melhor infra estrutura de bares, hotéis, restaurantes e estacionamento da região.
 
                      As mesas e cadeiras estrategicamente colocada na areia sob a sombra das árvores, fazem a alegria dos amates da cerveja gelada e petiscos.

                      Os preços locais são assustadores, com estacionamento a R$ 30,00 e minúsculas porções de peixe frito a R$ 50,00, portanto se possível leve tudo que você vai precisar.



PRAIA DO BONETE

                       A partir da Ponta de Sepituba uma trilha de 12 Km leva a essa praia. A caminhada dura de 3 a 6 horas. Outra maneira de chegar ao local é pelo mar, navegando em tradicionais canoas caiçaras ou barcos de passeio.
                        Os poucos moradores locais pertencem a uma tradicional comunidade caiçara que vive do turismo e da pesca.
                        As ondas, ao longo dos 600 metros de prais, podem atingir 3 metros de altura, fazendo a alegria dos surfistas.



PRAIA DO JABAQUARA

                        Uma das praias mais preservadas da ilha, a praia do Jabaquara é a última praia que se pode ter acesso ao norte da ilha. Com 500 metros de extensão e areia branca a beleza natural e as águas cristalinas são as maiores atrações do lugar.
                       



PRAIA DO PORTINHO

                        Ao sul da ilha, pouco mais e 4 Km da balsa fica a minúscula praia do Portinho tem apenas 60 metros de extensão e é frequentada principalmente por famílias graças as águas calmas e cristalinas.




PRAIA DO PEREQUÊ

                       O centro dos esportes náuticos da ilha, a longa praia é cortada pela ciclovia da cidade.
                       O mar calmo e o acesso ao comércio local atrai principalmente os turistas com crianças..Muitas árvores e brinquedos também se espalham pela praia que pode ser vista da avenida principal.




CACHOEIRA DA TOCA

                       A cachoeira mais famosa da ilha fica a na estrada da Baia dos Castelhanos. Por estar dentro de uma propriedade particular, uma entrada de R$ 15,00 por pessoa é cobrada.
                   
                       Monitores ajudam e controlam os visitantes, mas não tem muito poder sobre a quantidade surreal de mosquitos que toma conta do lugar.  O repelente natural está disponível gratuitamente na entrada da cachoeira, mas mesmo ele não é suficiente para tamanha quantidade de insetos.





                   
                        Uma das atrações é a ducha que dependendo da quantidade de chuvas na região é fechada para banho, pois os seus 3 metros de altura faz descer uma quantidade de água gigantesca impossibilitando o banho.





                        Em tempos normais a ducha é diversão garantida e não perde em nada a descida do tobogã que finalizada em uma piscina natural.
             



                       Alguns metros acima há uma gruta por onde a cachoeira desce e que dá o nome ao local.


                      Mas tome muito cuidado, pois as pedras são escorregadias e as piscinas podem atingir os 4 metros de profundidade.





MERGULHO

                     A ilha também é muito procurada por quem gosta de mergulhar graças as águas claras e os diversos naufrágios da região.

                      Principalmente os iniciantes buscam a Reserva Marinha da Ilha das Cabras, que pode ser atingida a partir da praia, não necessitando de uma embarcação.

                       Em seus 1 500 m de extensão é possível encontrar uma variedade de peixes de todos os tamanhos e invertebrados. As rochas do fundo do mar são forradas por esponjas, anêmonas-do-mar, corais, estrelas-do-mar e uma infinidade de outras espécies multicoloridas. Outro atrativo no Santuário é a estátua de Netuno, o Rei dos Mares, que está a 7 metros de profundidade. Um pequeno recife artificial próximo à estátua e à área rochosa da extremidade sudoeste da Ilha das Cabras também merece destaque neste cenário marinho.

                       Considerada o maior cemitério de navios da costa brasileira, soma 21 naufrágios, desde veleiros e cargueiros a transatlânticos e petroleiros.
                     



Alguns naufrágios de Ilhabela:

AYMORÉ – Cargueiro que transportava cartuchos de munição naufragou em 1920 durante uma tempestade. Está a uma distância da costa de 30 metros em profundidade de 5 a 9 metros.

ROSS – Veleiro de três mastros carregava farinha de trigo quando foi a pique em 1942 em maio a um temporal. Está localizado a uma distancia de 1,5 milhas da costa em profundidade de 40 metros.

VELÁSQUEZ - Este vapor inglês com mais de 150 metros de comprimento chocou-se conta a Ponta da Sela em 1908. Carregava café e malas postais. Encontra-se a 50 metros da costa, entre 06 e 22 metros de profundidade.

CREST – Trata-se de outro navio cargueiro cheio de café e sacarias que naufragou em 1882 durante uma tempestade. Está a uma distância da costa de 30 metros em profundidade de 9 a 17 metros.

DART - Pertencente ao Correio Real Inglês, essa embarcação a vela e a vapor afundou devido a um erro de navegação na Ponta de Sepituba, em 1884. Encontra-se a 40 metros de distância da costa, a uma profundidade de 6 a 20 metros.

FRANCE – Este paquete misto, com carga desconhecida, afundou em 1906 devido ao mau tempo. Está localizado a uma distancia de 200m da costa em profundidade de 40 a 60 metros.

HATHOR – Esse cargueiro que transportava café, sacarias diversas e malas postais afundou em 1909 durante um temporal. Está a uma distância da costa de 40 metros em profundidade de 8 a 19 metros.

PRÍNCIPE DAS ASTÚRIAS – O luxuoso transatlântico inglês, construído pelo mesmo estaleiro que fez o Titanic, naufragou na madrugada de 6 de março de 1916 chocando-se contra a Ponta da Pirabura em meio a uma tempestade. Dos 611 passageiros, apenas 164 sobreviveram. Está a 100 metros da costa, a uma profundidade de 18 a 45 metros.

SÃO JANECO – Esse cargueiro afundou em 1920 devido a um erro de navegação. Sua carga é desconhecida. Dista da costa 20 m em profundidade de 5 a 12 metros.

THERESINA – Cargueiro transportava café, sacarias diversas e malas postais. A embarcação foi a pique em 1919, a nordeste de Borrifos. Está a 100 metros da costa, numa profundidade de 08 a 17 metros.


                    No site www.naufragiosdobrasil.com.br/ilhabela, você encontrará informações completas sobre os naufrágios da ilha.



CRUZEIROS

                    Uma grande quantidade de navios pára todos os dias, durante o verão, na ilha, desembarcando milhares de turistas que estão ávidos por conhecer a ilha.

                    Ilhabela é uma cidade náutica, porque tem o mar e todas as atividades ligadas a ele no seu DNA. Foi assim quando as primeiras expedições chegaram ao destino em 1502; é assim com a consagração da localidade como Capital Nacional da Vela e pelo pioneirismo do destino - no estado mais rico da federação, São Paulo - como porto de parada de navios. Se essa era uma realidade distante, porém previsível, desde o desembarque das primeiras caravelas quando de seu descobrimento, hoje Ilhabela se envaidece do status de abrigar a mais segura e organizada operação de navios, dado o preparo de seus equipamentos, infra estrutura pública e privada e alto nível de atendimento de seu receptivo.

                 Ao desembarcar, o passageiro encontra uma vila bucólica e ao mesmo tempo moderna e aparelhada para receber bem o visitante. No time de atendimento, profissionais capacitados e guias turísticos com domínio de mais de um idioma.

                 No receptivo organizado pela cidade, há opções de passeios com saídas de curta e média duração – mas sempre combinadas, rigorosamente, com o tempo de permanência do passageiro na ilha. Nas excursões, praias deslumbrantes, cachoeiras, patrimônio histórico, além dos circuitos de compras de artesanato caiçara e a diversificada gastronomia local.

Passeios:
Praia do Curral de Jipe, Van ou Flexboat
Praia do Jabaquara de Jipe, Escuna ou Flexboat
Predas do Sino de Van
Cachoeiras de Jipe
City Tour de Jipe ou Van
Taxi
Locação de veículos
Passeios e atividades extras: Veleiro, Mergulho e City tour guiado pelo Centro Histórico – Vila
Todos os passeios partem da Vila – local de desembarque/embarque dos passageiros
*Solicite antecipadamente maiores informações sobre estes passeios na Secretaria de Turismo -          (12) 3895-7220      

sábado, 10 de maio de 2014

MORRO DE SÃO PAULO - BAHIA - BRASIL



MORRO DE SÃO PAULO 
BAHIA - BRASIL


        Localizada na ilha de Tinharé no município de Cairú, Morro de São Paulo passou de destino de mochileiros e hippies na década de 70 para um dos destinos mais procurados na Costa do Dendê.

        Morro tem acesso difícil, para os padrões das praias mais conhecidas dos turistas em geral, e só pode ser acessada por avião ou barco via Salvador. A proibição da circulação de carros dá um charme a mais para o lugar.

       AVIÃO: Através do aeroporto de Salvador, de onde saem mono e bi motores com destino a ilha. Hoje                     a  AXÈ táxi aéreo é a empresa que faz esse percurso com destino a terceira praia.
                   São 25 minutos de viagem a um custo de R$ 335,00 (US$ 135,00).
                   Como os aviões são pequenos e as saídas restritas, é aconselhável a reserva para evitar                                surpresas.

       CATAMARÃ: No terminal marítimo do Mercado Modelo, saem os barcos de todas as empresas que                                fazem essa travessia. A sugestão é a empresa BIOTUR que tem os catamarãs.
                               A travessia custa R$ 75,00 (US$ 31,00) por pessoa e demora cerca de duas horas.
                               Os barcos são grandes, mas a reserva é sempre aconselhável. Confira os horários que                                  mais lhe convém no site da empresa www.biotur.com.br.
   
        MARÍTIMO-TERRESTRE: A outra opção seria atravessar até a Ilha de Itaparica, seguir de ônibus                                                          até Valença e de lá tomar uma lancha rápida até Morro.  Essa não é a                                                          opção mais rápida nem a mais econômica, mas é sempre a alternativa                                                          para quem não tem o dinheiro para o avião nem estômago para encarar                                                        as duas horas de mar no catamarã.
                           

                   
                   
     A chegada, via marítima, é no pier próximo ao forte.
     Não se impressione com a bagunça organizada do mundo de gente e barcos que se aglomeram por alí, pois quase todas as pessoas e mercadorias são desembarcadas nesse ponto.
     Um mar de carregadores e "guias turísticos" vai se apresentar assim que você colocar o primeiro pé para fora do barco. Todos usam um uniforme com o nome estampado no peito e a menos que você tenha uma mochila confortável e sua hospedagem fique perto da Vila, a opção de um carregador não deve ser descartada.
     O valor gira em torno de R$ 10,00 por mala, mas pode variar muito de acordo com o destino e a cara do turista. A pechincha e a negociação tem que ser aplicadas.
     Para entrar na ilha o turista, independente de quantos dias irá ficar, deverá pagar uma taxa de conservação de R$ 15,00 (US$ 6,00).

     As opções de hospedagem são inimagináveis e a qualquer época do ano é possível desembarcar por lá sem uma reserva.

     Morro de São Paulo é formada basicamente pela Vila ou Centro, pelas 4 praias que levam os nome de 1,2,3 e 4 respectivamente e pela praia do encanto (quinta praia), além da Gamboa.

     No centro se concentram as lojas de presentes, roupas, restaurantes, pousadas e todo comércio em geral. A noite sempre começa por aqui, nos restaurantes e na praça onde se pode ouvir música ao vivo quase todas as noites, sempre protagonizada pelos moradores e turistas.






     A primeira praia concentra várias pousadas e é a mais tranquila.
   

     Na segunda praia é que a badalação acontece e a movimentação é intensa durante todo o dia e noite.










    As coisas vão acalmando conforme você se afasta pela praia 3 em direção a praia 4.

    O local onde você vai se hospedar não influenciará muito sua mobilidade, já que tudo em Morro fica muito próximo e o giro pelo centro antes de descer para a badalada praia 2, é obrigatório.

    Nesta viagem ficamos hospedados na praia 1, na pousada aroeira (R$ 210,00 - US$ 89,00 suite para casal com varanda e vista para o mar), mas as opções são diversas e de todos os preços.

   Uma das maiores atrações do lugar é a tirolesa que sai de cima do morro do farol com destino a praia 1, descendo dentro da água. (R$ 35,00 - US$ 15,00 por salto). São 350 metros de descida, partindo de um ponto a 60 metros de altura.





     Outro passeio muito procurado é a volta as ilhas de barco (R$ 100,00 - US$43,00) que leva a Praia do Encanto até às Piscinas de Garapuá e seguindo para as piscinas de Moreré, onde recifes de corais formam piscinas naturais de águas cristalinas e tranqüilas no meio do mar onde mergulhar com snorkel permite observar uma grande variedade de peixe e corais.



Piscinas Naturais: 
As praias de águas cristalinas , areia branca e cercadas por um imenso  coqueiral estão cercadas por grandes barreiras de recifes. Quando a maré está baixa se formam piscinas naturais pelos arredores dos arrecifes. Estas piscinas são os locais ideais para banhistas de qualquer idade. Além de poder ver os peixes que ali ficam também é um lugar maravilhoso para banhar crianças pequenas e bebês. Uma ótima dica para relaxar nas belas paisagens das praias de Morro de São Paulo. Uma destas praias que possui belas piscinas naturais é a Quarta Praia.
(http://www.morrodesaopaulobahiabrasil.com)