VÍDEOS - RODANDO O MUNDO

Loading...

sexta-feira, 5 de abril de 2013

PUERTO MADRYN - ARGENTINA

Foram 1300 Km nos últimos 2 dias e meio desde Buenos Aires até Puerto Madryn para que oficialmente pudessemos dizer que estamos na patagônia Argentina.
Nesse trecho, paramos duas vezes para dormir, uma na cidade de Azul e outra na cidade de Rio Colorado.
Azul, ainda na província de Buenos Aires, fica a pouco mais de 300 Km da capital e foi a opção de parada em função do horário.
A saída de Buenos Aires acabou atrasando bastante, primeiro porque resolvi trocar alguns dólares e fui agraciado com um americano com dezenas de cheques viagem na minha frente, o que me fez esperar quase uma hora.
Não tinha a opção de ir a outra casa de câmbio, primeiro por causa do horário (9 horas) e segundo em função do feriado de páscoa que manteve fechada a maioria do comércio.
Os cambistas na Florida estavam pagando 3,7 contra 5 das casas de câmbio, portanto o jeito foi esperar o americano mesmo.
Outra coisa que nos atrasou bastante foi o trânsito da saida do feriado. A estrada estava lotada e abastecer foi uma tarefa que nos comeu quase 40 minutos.
Por volta das 5 da tarde resolvemos encostar na primeira cidade que surgisse para dormir, e essa parada foi na cidade de Azul.
Devido a um encontro anual de motociclistas a cidade e os poucos hotéis estavam lotados e só conseguimos um quarto na sexta tentativa a um custo bem alto para os padrões do quarto e do minguado café da manhã.
Seguimos viagem logo cedo e perto do meio dia paramos para abastecer em um dos poucos postos que encontramos nesse trecho e que por esse motivo se encontrava com filas gigantes.
Enquanto aguardavamos o tanque encher a Luiza resolveu brincar e adentro do carro apertou a trava que tranca as portas, fazendo com que os vidros subissem sozinhos.
Trancada dentro do carro com a chave no contato, nos do lado de fora nos apavoramos.
As primeiras lágrimas saiam dos olhos dela que se assustou com nosso susto e nossos gritos.
As opções foram passando pela minha cabeça. Uma delas era quebrar um dos vidros, ou acessar a chave reserva que tinha guardado na parte de baixo do carro.
A opção da chave reserva não me agradava, pois estava tão bem escondida que demoraria muito para alcançá-la e o calor era forte naquela hora do dia.
Tentando manter a calma conseguimos orientar a Luiza que depois de muitas tentativas conseguiu abrir a trava da porta do motorista nos liberando do desespero.
Posso afirmar que mais de meia hora depois ainda tremia de susto.
Mais uma lição aprendida!!!!
No dia seguinte rodamos cerca de 500 Km e a cidade escolhida para dormirmos foi Rio Colorado.

Puerto Madryn não mudou muito desde a última vez que estive aqui, portanto foi fácil me localizar. Fomos direto para o hotel e a noite saimos para comer uma pizza. Apesar do frio resolvemos ir a pé, pois o estacionamento do hotel onde estamos é muito pequeno e a chance de perder a vaga se sairmos é muito grande.
Estamos a duas quadras da praia e não foi difícil encontrar um lugar para comer, mas antes disso a Luiza achou um parquinho na praia e nos fez passar um pouco de frio enquanto ela brinacava como se estivesse em uma tarde ensolarada de verão.
O primeiro destino foi a reserva de Punta Loma,
 uma loberia (local onde se reunem lobos marinhos), que fica a poucos quilometros da cidade por uma estrada de terra bem cuidada.


Mas apesar de ser feriado na Argentina e a cidade estar lotada de turistas demos com a cara na porta, ou na porteira da reserva, pois a mesma estava fechada.
Uma fila de carros aguardava na porta sem informações do motivo do fechamento.
Resultado final...não conseguimos entrar nem ver nenhum lobo marinho por aqui. Seguimos a estrada até a praia Parana

onde vários turistas estavam acampados e pescando


e depois seguimos até o final da estrada em uma praia maior onde vários acampamentos se espalhavam pela orla.





Algumas fotos depois, já retornando paramos em um mirante no topo da praia Parana, onde ficamos por algum tempo apreciando a vista do alto de uma falésia.








Almoçamos em um restaurante muito bonito literalmente na areia da praia que foi escolhido pela Luiza graças ao imenso parquinho que havia nele. A opção inicial era comermos em um tenedor libre, onde se paga um preço fixo e se come a vontade. Acontece que o preço era meio fora e a Luiza apesar de comer quase nada teria que pagar metade, então a opção foi a escolha da Luiza, onde no final ela se divertiu muito e gastamos pouco mais da metade do que no outro restaurante.


.
Voltamos para o hotel para uma descansadinha e a tarde iriamos visitar o ecocentro, que é uma espécie de museu do mar, mas quem disse que conseguimos acordar???....perdemos a hora do museu, mas vai aí o endereço eletrônico:
www.ecocentro.org.ar

O dia seguinte foi reservado para visitarmos  reserva da Peninsula Valdes, que fica a quase 100 Km de Puerto Madryn, local onde se pode avistar pinguim, baleia, leão marinho e elefante marinho.
Até o vilarejo de Puerto Pirâmides

VÍDEO - CHEGADA EM PUERTO PRAMIDES









 a estrada é asfaltada, mas a partir daí, roda-se somente no chão bruto.
Uma guarita na porta do parque cobra a entrada de 130 pesos (R$ 53,00) por pessoa, mas por sorte a Dinira estava atrás com a Luiza e não foi vista, e só foi cobrada uma entrada para nós 2, já que a Luiza não pagaria de qualquer jeito.

VÍDEO - CARRO DO RODANDO O MUNDO


Puerto Pirâmides e o local de onde se consegue avistar as baleias na baia que serve de abrigo para as baleias e seus filhotes, mas como não é época de reprodução, fizemos só uma parada para o almoço.
Depois o destino foi Caleta Valdes, apesar do forte vento u muito frio, conseguimos tirar várias fotos muito próximos aos pinguins, mas a frustração ficou por conta dos elefantes marinhos na estância la Elvira,(o nome por sí só já valeria a viagem)








  onde normalmente eles ficam reunidos aos montes, pois nesse dia havia somente um e muito longe.
Cerca de 1 Km depois há uma falésia onde se reunem alguns pinguins, que apesar da época ainda estavam por aqui. Apesar do intendo frio e chuva o encanto dos pinguins encantou a nós três. Luiza quase não acreditava que eles eram de verdade e a Dinira parecia a criança do grupo.



















Já no meio da tarde ficamos em dúvida, mas resolvemos seguir até a punta norte onde há uma colônia de lobos marinhos, e valeu a pena os mais de 200 Km percorridos em estrada de terra.
Uma grande colonia de lobos habita a punta norte e apesar a intensa chuva, conseguimos tirar várias fotos, pois nessa colonia não é possível descer até a praia para chegar mais perto dos animais.

VÍDEO - LOBOS MARINHOS NA PUNTA NORTE








Aqui entre os meses de setembro e abril, as orcas sobem até as praias em busca de filhotes indefesos, comportamento que esses animais não desenvolveram em outras partes do mundo.
Durante todo o percurso dentro da reserva conseguimos ver vários outros animais, mas não é muito fácil fotografa-los, pois não compartilham com a nossa admiração por fotos, mas conseguimos fotografar vários guanacos, parentes distantes do camelo e mais parecidos com a lhama, que pudemos ver não só na reserva, mas por toda estrada até o sul.

Prejuizo ficou para o carro que teve o a iluminação da placa traseira quebrada e com lama até no documento, devido a chuva.

VÍDEO - ESTRADA DENTRO DA PENINSULA



Voltamos para Puerto Madryn presenteados por um lindo por do sol
depois de tanta chuva e bem cansados, mas felizes pelas fotos com os pinguins, sem saber que veríamos muitos outros pinguins no dia seguinte.......

Um comentário:

Trip to the wild world disse...

Belíssima matéria e belíssimas imagens!!!
Estive nesse paraíso a tempo atrás e pude testemunhar todo esse encanto de ver animais extraordinários tão de perto! Fiquei com o sonho de retornar algum dia para aproveitar melhor!! Gostaria de compartilhar um video das baleias em puerto madryn que tive a felicidade de filmar de um Drone a partir da praia.
https://youtu.be/VFPxTMdJSd4