VÍDEOS - RODANDO O MUNDO

Loading...

segunda-feira, 10 de junho de 2013

FOZ DO IGUAÇU - BRASIL

Após a fronteira traumática para entrar na Argentina, onde demoramos mais de 3 horas, não tivemos tempo de seguir viagem e dormimos em La Quiaca, no lado argentino da fronteira.
Pela manhã seguimos viagem, mas muito cansados por uma noite não muito bem dormida, devido ao frio e aos efeitos da altitude que nos pegou muito forte.
Pouco mais de 280 Km depois chegamos a cidade de San Salvador de Jujuy, onde paramos para almoçar em um restaurante muito gostoso na praça central da cidade.
Após o almoço, ficou decretado o final da viagem no dia e seguimos para um hotel que durante o almoço conseguimos reservar via internet.
Ao chegar no local vimos que se tratava da casa de um casal de senhores que no seu quintal montou 4 pequenos apartamentos com suites e cozinha disponíveis.
Lugar fantástico, parecendo uma montagem da disney, aliado a simpatia dos proprietários e funcionários do local, fizeram desse lugar a melhor hospedagem de toda nossa viagem.

Retas intermináveis e 860 Km depois chegamos a Corrientes para uma noite de sono antes de seguir viagem para Foz do Iguaçu (mais 650 Km).




Portinari foi o hotel escolhido em Foz do Iguaçu, primeiro porque eu já conhecia (fiquei hospedado lá na viagem ao Chile de carro em 2011) e porque é o hotel mais próximo da ponte da amizade e do Paraguai, onde pretendemos fazer uma visita.

As atrações em Foz do Iguaçu podem tomar até uma semana da sua viagem, portanto uma peneira deve ser feita antes de chegar para que não se desperdice muito tempo. Em função de estarmos com uma criança, alguns programas foram abortados, mas conseguimos conhecer os mais famosos.

1- ITAIPÚ BINACIONAL

1973-  Brasileiros e Paraguaios, escolheram o local para a contrução da maior hidroelétrica do planeta que seria construida pelos dois países. Na época, a cidade de Foz do Iguaçu contava com apenas 2 ruas asfaltadas e lá moravam cerca de 20.000 pessoas (hoje são 260.000 de 80 nacionalidades diferentes).

1978 - o canal de desvio do rio Paraná ficou pronto e o rio foi desviado para um canal artificial, alterando o leito do rio, deixando livre e seco o local onde seria iniciada a obra.
Durante esse ano a obra seguiu em um rítmo alucinante e concreto equivalente a um prédio de 10 andares eram aplicados por hora na barragem.

1980 -  40.000 trabalhadores dos dois países atuavam diretamente na obra.

1981 - Depois de 3 meses de viagem chegou, partindo de São Paulo, a primeira roda da turbina com cerca de 300 toneladas.
Fomos recomendado a pegar táxi para voltar somente em pontos fixos em frente as grandes lojas
1982 -  As obras da barragem chegam ao fim e as comportas são fechadas em outubro.
A formação do lago atrás da barragem que levaria cerca de 3 meses, estava cheio apenas 14 dias depois do fechamento das comportas, dando início imediato a operação de resgate dos animais que viviam na área inundada, salvando 36.450 animais.
Em 5 de novembro o vertedouro é aberto pelos presidentes do Brasil e Paraguai, inaugurando oficialmente a usina.

1984 -  Em 5 de maio entra em funcionamento a primeira das 20 turbinas.

2007 - As últimas duas turbinas são inauguradas.

2013 - Rodando o mundo visita a usina.

A parceria entre os dois países divide igualmente a energia e a administração da usina.
O Brasil, além dos 50% da energia, compra 41% da energia destinada ao Paraguai.
Os 91% de energia gerado pela Itaipú que o Brasil utiliza, é responsável por 16% do consumo do país.
Já os 9% da energia enviada ao Paraguai, abastece cerca de 73% do país vizinho.

Várias opções de passeio são oferecidas e até um test-drive com o carro elétrico construido pela empresa é oferecido.
O roteiro mais procurado é a visita interna às instalações da usina e que deve ser marcado com antecedência, devido a alta procura.
Escolhemos o passeio panorâmico, que percorre a parte externa na usina com duas paradas, em um ônibus de dois andares ( só vá lá em cima se você estiver bem agasalhado).
Uma das paradas em frente as turbinas e outra no lago, além da passagem pelas turbinas pela parte de baixo e de cima da barragem, completam o percurso.








Segue abaixo os roteiros e preços:




2 -  COMPRAS NO PARAGUAI.

A famosa rua 25 de março em São Paulo, foi inspirada nessa bagunça chamada Ciudad del Este.
Milhões de camelôs, disputam espaço e clientes com vendedores ambulantes e as lojas.
Aqui vende-se de tudo, de todas as marcas e qualidade. Pode-se escolher a marca e a linha do produto, sendo a primeira linha considerada uma réplica e as demais com preço mais baixo tem a qualidade duvidosa.
Tenho minhas dúvidas se vale a pena comprar um equipamento eletrônico por aqui, já que nas lojas oficias, além da garantia, você consegue um parcelamento a perder de vista, coisa que aqui não existe.
Compramos roupas e algumas bebidas para presente, que junto com os brinquedos tem um preço atrativo.
A aduana brasileira está trabalhando a todo vapor e o comentário por aqui é que o movimento caiu 50% em função disso.
A travessia de ida e volta foi feita de táxi e custa cerca de R$ 30,00 cada percurso.
Em lojas como "MONALISA",  você se sente em miami, graças a sofisticação e organização da loja, mas não se iluda, isso é uma exceção !!!






3- CATARATAS.

A visita as cataratas pode ser feita do lado Brasileiro e do lado Argentino, através de passarelas que te levam até muito perto das quedas, só que em pontos diferentes. O ideal é que você tenha a disponibilidade de visitar ambos os lados.
Visitamos somente o lado brasileiro que é administrado por uma empresa privada.











<html>
<head>
<meta http-equiv="refresh" content="0;url=http://lupiao.blogspot.com" />
</head>
</html> 

Nenhum comentário: